::Confraria do Júri::

A Confraria do Júri convida você, membro do Ministério Público, a enviar seus artigos sobre o Tribunal do Júri para confrariadojuri@uol.com.br - Confraria do Júri

 
 

 

      

Enquete

Você é a favor da ampliação da competência do Tribunal do Júri para outros crimes seguidos de morte?
 
Sim, para qualquer crime doloso seguido de morte.
Sim, com exceção do estupro seguido de morte.
Não. A competência do Tribunal do Júri deve permanecer a mesma.
Não tenho opinião formada.

 
Ver resultados
 
  
  
     Notícias
 
01/12/2017  - MT: No quarto júri, réu é condenado por homicídio qualificado
 
Clênia Goreth - MP-MT

Após oito anos da ocorrência do crime e quatro júris realizados, o Ministério Público do Estado de Mato Grosso conseguiu na terça-feira (28), no município de Jaciara, a condenação de José Alves da Silva Júnior a 12 anos de reclusão, em regime inicial fechado, por homicídio qualificado. O crime, que ficou conhecido como “caso da Manu”, ganhou repercussão não apenas na época em que foi cometido, como também nos anos seguintes após várias sessões de julgamento.

O promotor de Justiça que atuou no plenário do júri, José Jonas Sguarezi Junior, explica que a primeira sessão de julgamento aconteceu em novembro de 2012 e não foi concluída devido a um mal súbito por parte do advogado do réu. Em 2014, um novo júri aconteceu e houve a desclassificação do crime para homicídio culposo, mas o Ministério Público recorreu da sentença e conseguiu a anulação do julgamento. Em novembro de 2015, um novo julgamento foi realizado, ocasião em que houve a primeira condenação por homicídio qualificado, mas a defesa recorreu da sentença e mais uma vez o júri foi anulado.

Nesta terça-feira, após intensos debates entre acusação e defesa, os jurados acolheram a tese defendida pelo Ministério Público e condenaram o réu pela prática de homicídio qualificado por motivo fútil. O quarto júri, que começou às 8h30 e encerrou-se a meia-noite e meia, confirmou o resultado do julgamento realizado em 2015. O réu cumprirá a pena em regime inicialmente fechado.

CRIME: Consta nos autos, que no dia 24 de fevereiro de 2009, por volta das 01h40 da madrugada, o réu atingiu com disparo de arma de fogo a vítima Heyd Manuella Rodrigues Silva, com quem mantinha relacionamento amoroso. O crime aconteceu em uma boate da cidade.

Voltar


comente/critique essa matéria

 
Telefone

 Confraria do Júri - Rua 6, s/n�, CPA - Cuiab�/MT

  Produzido por Coltri Consultoria e Assessoria Organizacional
  www.coltri.com.br - fone: (65) 8404-0247