::Confraria do Júri::

 
 

 

      

Enquete

Você é a favor da ampliação da competência do Tribunal do Júri para outros crimes seguidos de morte?
 
Sim, para qualquer crime doloso seguido de morte.
Sim, com exceção do estupro seguido de morte.
Não. A competência do Tribunal do Júri deve permanecer a mesma.
Não tenho opinião formada.

 
Ver resultados
 
  
  
     Notícias
 
21/05/2024  - TJRJ e Governo do Estado assinam convênio para ações de prevenção à violência doméstica
 
TJRJ

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) e o Governo do Estado firmaram nesta segunda-feira (20/5) um convênio para a aplicação do programa "Antes que Aconteça'', de proteção à vítima de violência doméstica. A assinatura do termo de cooperação estabelece uma série de políticas públicas de tecnologia e inovação voltadas à proteção da mulher. O evento ocorreu no Palácio Guanabara, sede do Executivo estadual.

Um total de R$ 300 milhões do orçamento federal será destinado aos estados que aderirem à iniciativa para a execução de políticas de erradicação do feminicídio, monitoramento e avaliação de medidas protetivas, modernização de delegacias, entre outras ações.

O presidente do TJRJ, desembargador Ricardo Cardozo, disse que o programa "Antes que Aconteça" representa um avanço no papel da justiça no combate à violência doméstica.

“Não se trata só de prestar justiça, mas de ter o sentido mais amplo possível. Precisamos responder às necessidades da vítima, atuar preventivamente e estar atentos no pós-ação. O feminicídio é um crime que precisa ser erradicado com urgência. O programa foca na prevenção e na utilização de ferramentas tecnológicas para conter esses males”, afirmou.

A coordenadora da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Coem), desembargadora Adriana Ramos de Mello, participou do evento e explicou que, na prática, o programa "Antes que Aconteça" funciona de forma transversal, isto é, abordando diferentes áreas do Poder Executivo que se comunicam com o Poder Judiciário.

“O programa envolve várias secretarias estaduais, prevê a instalação de salas de acolhimento para mulheres vítimas de violência, a aplicação de tornozeleiras eletrônicas para agressores e o uso do botão do pânico para maior segurança das mulheres. O Judiciário, em parceria com a Secretaria da Mulher, coordena a Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher com reuniões mensais. Essa articulação cumpre o artigo 8º da Lei Maria da Penha, que define ações conjuntas para prevenir a violência, assistir as vítimas e punir os agressores”, informou.

O governador do estado, Claudio Castro, destacou a transversalidade da iniciativa. “Não adianta a gente querer que cada um apareça mais que o outro. Nós somos um governo só. E o que tem que aparecer aqui é a população, quem nos colocou aqui porque a mulher tem que ser atendida onde quer que ela chegue, em qualquer repartição pública. Nós temos de entender que a proteção da mulher é dever de todos nós”, enfatizou.

Articuladora no Congresso Nacional para adesão ao programa "Antes que Aconteça", a deputada federal Soraia Santos, disse que o estado do Rio deve ser o primeiro estado a receber os recursos da política pública.

“O programa vai aprimorar o monitoramento para alertar a polícia mais próxima se alguma mulher for vítima de violência. A iniciativa envolve capacitação, recursos do Legislativo e modernização das delegacias, com áreas de acolhimento. A Sala Lilás, parceria com o Tribunal de Justiça, oferecerá atendimento humanizado em hospitais. O Rio de Janeiro lidera mudanças e avanços com esse convênio”.

Voltar


comente/critique essa matéria

 

 Confraria do Júri - Rua 6, s/nº, CPA - Cuiabá/MT